(trem mais lindo)

Ela é mineira, de Belo Horizonte. Está morando em Portugal, foi  fazer um mestrado em pintura na Universidade de Lisboa, junto com o namorado. Os dois se complementam no amor e na arte. Pintam juntos. Me apaixonei pelos quadros e escrevi pra ela. “Nada pode ser mais lindo do que uma pessoa pintar. Um casal pintando junto, então.. Mata minha curiosidade, me conceda uma mini-entrevista?”

– Você e o Eduardo pintam juntos. Mas pintar juntos é dividir a mesma tela? Como é pintar junto?

Eu e Dudu pegamos trabalhos juntos. Já pintamos a mesma tela, mas nosso trabalho autoral vai por outras veredas, e é muito diferente. O trabalho da Hermés foi comercial, portanto adaptamos, na medida do possível, o nosso estilos ao que o próprio trabalho demandava. Pintar junto, nesse caso, é execução de um trabalho. Pintar, na real, é coisa de gente doida e sozinha, rs. Pintar é um ofício cruel, pois nos deixa alone com os nossos pensamentos e neuras. é análise, e das boas. No final sai todo mundo zen. Pra além, dividimos o ateliê.

– O quadro tem duas assinaturas? E vaidade, tem? E o estilo, é dos dois? Chegaram juntos nisso?

Os quadros em comum são assinados pelos dois, sim. Sem vaidade, sem apego.

– Vi uma foto de você retocando um quadro. Um último retoquinho.. Dá sempre vontade de mexer mais um pouquinho?

Como todo trabalho, temos que nos forçar ao momento de parar. Há sempre o que fazer, arrumar… Mas um ciclo deve ser fechado, não é? Além disso chega uma hora que não queremos mais olhar para aquela imagem! O trabalho da pintura é isso, parar o mundo e olhar para uma imagem apenas. Isso nos dias de hoje é um tanto impensado (e impensável!).

– A Europa recebe melhor os artistas pintores do que o Brasil?

Sim. Por isso a tentativa aqui. Meu trabalho não é só com pintura, no entanto. Eu trabalho também com direção de arte, em cinema.  Já nessa área de cinema acho que o brasil é solo fértil. Tenho também meus amigos do cinema aí, por isso penso em voltar. tenho sentido falta.

– Tem um quadro seu que seja o seu preferido? E a clássica, se pudesse ter qualquer quadro do mundo, sabe qual teria?

Ainda não tenho um quadro meu preferido. quero ainda chegar a esse ponto, de achar uma coisa que fiz muito boa! Hmmm… Eu gosto muito do “trickland” do Michael Borremans, mas não tenho assim um impulso de “querer tê-lo” … http://www.zeno-x.com/artists/michael_borremans.htm

– Dá pra viver de pintura?

Acredito que sim.

– Cês aceitam cartão de crédito? ; ))

:D


(priscila amoni)




(eduardo fonseca)  




(priscila amoni + eduardo fonseca) para as vitrines da hermés lisboa. 19 telas em 1 mês. 

mais priscila www.amoni.com.br
mais eduardo www.eduardofonseca.com

<3 

Anúncios

<3

"

dá pra vida ser tão bonita, né. olha o que o lucas jatobá fez.

ganhei o link da querida mari gogu.

A Natália Garcia é uma jornalista foda. Eu a conheci pessoalmente da última vez que estive em São Paulo e sentamos para conversar sobre o seu projeto, o Cidade para Pessoas. Durante um ano, a Natália vai percorrer 12 capitais do mundo procurando uma resposta pra a pergunta: Como tornar uma cidade melhor para seus habitantes?

As cidades escolhidas são resultado de projetos do arquiteto dinamarquês Jan Gehl, que atua como planejador urbano há 50 e vive em Copenhagen. “Na década de 60, ele arranjou um emprego na prefeitura de Copenhagen e emplacou o polêmico projeto de impedir que carros circulassem por uma das principais avenidas comerciais da cidade. “Não somos a Itália”, diziam jornais no dia seguinte ao anúncio dessa ideia, tentando mostrar que o clima nórdico da Dinamarca não convidava as pessoas à rua e que, sem a circulação de carros, aquela avenida morreria. Mas não morreu. Ao contrário, ali foi criado o Strøget, um calçadão de pedestres que rapidamente virou um efervescente ponto de circulação de pessoas à pé e de bicicleta. Um ano depois, todas as lojas de comércio do local lucraram com a iniciativa e hoje Copenhagen é a cidade com o maior número de usuários cotidianos de bicicleta do mundo. ”

A lista de cidades e todos os detalhes do que será produzido pelo projeto estão no blog http://cidadesparapessoas.com.br

Outra coisa muito legal do projeto é que você pode dar um suporte a ele. No site do catarse.me tem um video onde a Natalia explica sua ideia e convida as pessoas a darem uma grana em troca de conteúdo exclusivo, ajuda de bike-anjo, posters, mapas para andar de bicicleta e até uma consultoria informal do próprio Jan Gehl para a sua cidade.

Bora lá, gente, fortalecer o projeto e ajudar o Brasil a ter cidades melhores para nós.

Parabéns, obrigada e boa sorte, Natália. Tamo te acompanhando : ))

AMOCAPSLOCKBOLD fotografar as roupas da Morgana Marla.
Beijos pra nossa maravilhosa modela, Silvia Andrade <3